segunda-feira, 9 de junho de 2014

Bebês geneticamente modificados que nasceram nos Estados Unidos


clonagem

O nascimento dos primeiros seres humanos geneticamente modificados no mundo foi revelado ontem à noite.

O anúncio de que 30 bebês saudáveis ​​nascidos depois de uma série de experimentos nos Estados Unidos tem levantado um debate acalorado sobre a ética da ciência.
Até agora, dois bebês foram testados e possuir três genes "pais".
Quinze dessas crianças nasceram nos últimos três anos, depois de um programa experimental do Instituto de Medicina Reprodutiva e Ciências de São Barnabé , em Nova Jersey.
Esses bebês nascem para mulheres que têm dificuldade em conceber.
Genes adicionais de um "doador do sexo feminino" foram inseridos em seus ovos antes de serem fertilizados para ajudá-los a conceber.
Teste de DNA de crianças de dois anos de idade confirmam que eles herdaram DNA de três adultos diferentes - duas mulheres e um homem.
O fato de que as crianças herdaram genes adicionais e integradas no seu germinativas (nota: Linha posteriormente formaram células germinativas sofrer divisão dos cromossomas durante a sua evolução) significa que eles podem, por sua vez ser capaz de transmitir aos seus descendentes.
Modificação da linha germinal humana - um DIY da mesma natureza de nossa espécie - é uma técnica rejeitado pela grande maioria dos cientistas em todo o mundo.
Os geneticistas têm medo de que um dia, este método pode ser usado para criar novas raças humanas, com as características desejadas tal que uma força ou aumento da inteligência.
Em artigo na revista Human Reproduction , os pesquisadores liderados pelo pioneiro no campo da fecundação, o professor Jacques Cohen (foto acima), dizendo que "  este é o primeiro caso de modificação genética germinal humana em crianças boa saúde  . "
Alguns especialistas criticaram energicamente estas experiências. Sir Winston, do Hospital Hammersmith, no oeste de Londres, disse à BBC ontem: "  No que respeita ao tratamento da infertilidade, não há evidências de que esta técnica vale a pena. . . Estou muito surpreso que ele foi mesmo feito nesta fase. Isso certamente não seria permitido na Grã-Bretanha  ".
John Smeaton, diretor nacional da Sociedade para a Proteção do Nascituro, disse: "  Nós temos um monte de empatia para casais com problemas de fertilidade. Mas o que parece ser um novo método no processo de fertilização in vitropara conceber os bebês leva a bebês que estão sendo tratados como objetos em uma linha de produção. Este é um novo e muito preocupante marco na história da humanidade.  "
Professor Cohen e seus colegas têm diagnosticado que essas mulheres são inférteis porque têm defeitos em estruturas minúsculas óvulos, chamada mitocôndria.
Eles levaram ovos de um doador e, usando uma agulha fina, sugado algum hardware interno - contendo mitocôndrias saudáveis ​​- e injetados nos óvulos de mulheres que desejam conceber uma criança.
Como as mitocôndrias contêm genes, bebês provenientes do tratamento de DNA herdado de duas mulheres. Estes genes podem agora ser passado ao longo da linha germinal materna.
Um porta-voz do HFEA ( Fertilização Humana e Embriologia ), órgão responsável pela regulação da tecnologia de reprodução assistida na Grã-Bretanha, disse que não iria permitir que a técnica em seu país, pois envolve uma mudança na germinativas.
Jacques Cohen é considerado um cientista brilhante, mas controversa, que tem empurrado os limites das tecnologias de reprodução assistida.
Ele desenvolveu uma técnica que permite que os homens inférteis têm filhos, injetando DNA do esperma diretamente no óvulo em laboratório.
Anteriormente, apenas as mulheres inférteis foram capazes de conceber através da fertilização in vitro . No ano passado, o Professor Cohen disse que sua experiência lhe permitiria clonar crianças - uma perspectiva tratado com horror pela comunidade científica em geral.
 Seria o trabalho de uma tarde para um dos meus alunos  ", disse ele, acrescentando que ele havia sido abordado por pelo menos três pessoas que desejam criar uma criança, mas se recusaram seus pedidos.
Via http://archivesmillenairesmondiales.wordpress.com/2014/03/29/naissance-de-bebes-genetiquement-modifies-aux-etats-unis/

quinta-feira, 5 de junho de 2014

Second Livestock: Realidade virtual para galinhas suscita debate sobre humanidade


Imagine um sistema de realidade virtual para galináceos que fizesse com que eles fossem criados em cativeiro acreditando serem livres. Mas uma questão filosófica paira no ar: Não estaríamos sendo criados dessa forma?

Austin Stewart, professor assistente da Universidade Estadual de Iowa, revelou um projeto tão inusitado quanto estapafúrdio: um sistema de realidade virtual desenhado para galinhas.



Apesar do site do projeto Second Livestock (algo como Segunda Pecuária), um trocadilho com o nome da rede social e mundo virtual online Second Life, até parecer ser uma iniciativa real, sugerindo forjar uma solução para que galinhas acreditem estarem livres, apesar de estarem confinadas em uma gaiola sobre uma espécie de trackball gigante com óculo de realidade virtual e um headsetpreparados para galináceos, trata-se de uma ficção (científica?).


Stewart percorre os EUA no últimos meses exibindo o projeto onde sugere que as galinhas usem e interajam entre si. Permitindo até que elas ouçam umas as outras em seu universo sensorial paralelo.

Mas o que realmente pretende o pesquisador com essa bizarrice? 

Stewart disse ao Ames Tribune: 

O objetivo do projeto é ampliar essa questão sobre como é que sabemos o que é o melhor, ou o que é o tratamento humano. E também para olhar como nós tratamos a nós mesmos. Estamos vivendo nestas pequenas caixas, como galinhas.

Sim, pois para os seres humanos esse tipo de cárcere mental no melhor estilo Matrix seria considerado uma distopia.



Mas talvez as relações de trabalho, a vida moderna, a tecnologia, vêm pouco a pouco nos levando a um confinamento semelhante. Stewart teve sua ideia durante uma palestra onde o palestrante mostrava como os fazendeiros lidavam com os animais.

Depois, ele foi questionado sobre os direitos dos animais, e ele disse que a vida ao ar livre é inerentemente perigosa - a medida que os animais têm mais stress.

Nesse momento Stewart teve sua epifania: 

Imediatamente pensei que poderia haver uma maneira de combinar os dois. E, em seguida, Second Livestock nasceu

Stewart criou o conceito trabalhando com sistemas de realidade virtual atuais para descobrir como eles poderiam ser adaptados para galinhas e diz ser absolutamente plausível em termos tecnológicos.

Cena da trilogia cinematográfica distópica Matrix
Ainda assim, uma das maiores mudanças necessárias diz respeito à tela dentro dos óculos.

As galinhas têm um quarto cone em seu olho, para que elas realmente vejam na faixa do ultravioleta, de modo que seria necessário para construir um novo tipo de LCD - mas é possível.

Todavia, o custo seria alto. Segundo Stewart seria algo entre US$ 40.000 e US$ 50.000 por frango. Mas com as economias de escala significa que, no futuro, isso poderia se tornar possível. Ele alega ainda que o experimento foi concebido para provocar debate. 

Eu sou um artista, e o objetivo é levar essas questões e apresentá-las de uma forma que é fácil de consumir.

Mas a reação ao projeto tem sido bastante variada.

Algumas pessoas ficam com muita raiva, há realmente uma grande variedade defeedback.

Ele ainda criou um sistema usando os Oculus Rift para que as pessoas possam experimentar o mundo virtual das galinhas andando por aí como se fosse um galináceo.

As pessoas podem passear, há um celeiro e eu dei as pessoas um pedal para que elas possam saltar.

Stewart agora pretende levar seu projeto e os Oculus Rift a shows agrícolas. E, caso receba propostas para desenvolver o Second Livestock, pretende produzir o sistema.

Fonte: Second Livestock, Daily Mail, The Verge
[Via BBA]
http://blog.brasilacademico.com/2014/05/second-livestock-realidade-virtual-para.html

quarta-feira, 4 de junho de 2014

Mistério: doença está fazendo pessoas dormirem de repente por até seis dias

Imagine se você caísse no sono de repente, durante uma atividade normal da sua rotina, e só fosse acordar dois, três ou até seis dias depois? Pois, esse fenômeno bem esquisito tem acontecido com frequência com algumas pessoas na pequena cidade soviética de Krasnogorsk e no vilarejo de Kalachi, no Cazaquistão.
A condição misteriosa tomou conta dessas regiões e ninguém sabe a razão por trás disso. Os cientistas e especialistas estão realmente perplexos com o fenômeno, buscando respostas do motivo pelo qual ele acontece. Entre os fatos interessantes é que essa “doença do sono” acontece em épocas.
A primeira onda de casos aconteceu em março de 2013. A segunda atingiu mais algumas pessoas em maio de 2013. Desde então, houve mais três períodos de casos registrados: durante a época de Ano Novo de 2014, logo após as férias de inverno e agora em maio novamente. Na maioria dos casos, o sono é acompanhado por uma perda de memória temporária.

Casos

Siberian TimesMarina Felk
Uma das primeiras vítimas da estranha síndrome foi Marina Felk, uma trabalhadora rural de 50 anos de idade de Kalachi. Entre algumas de suas atividades em sua pequena propriedade, ela foi fulminada por um forte sono: "Eu estava ordenhando as vacas, como de costume, no início da manhã e adormeci", disse ela ao Siberian Times.
A mulher afirmou que não se lembrava de nada, apenas do momento em que acordou no hospital. “A enfermeira sorriu para mim e disse: 'Bem-vinda de volta Bela Adormecida, você finalmente acordou'. O que mais me lembro? Nada. Eu dormi por dois dias e duas noites. As mulheres da minha ala disseram que eu tentei acordar várias vezes, dizendo que precisava urgentemente ordenhar minhas vacas", completou Marina.
Curiosamente, a doença não se limita aos moradores locais. Os visitantes também são afetados. Foi o que aconteceu com Alexey Gom, de 30 anos, que estava visitando a sogra em Kalachi.
Alexey Gom
E, ao que tudo indica, o sono que ele teve não foi uma forma de escapar da sogrinha não. "Eu vim com a minha esposa para visitar a minha sogra. Pela manhã, eu precisava terminar um trabalho no meu notebook. Depois que eu liguei o aparelho e abri as páginas do documento que precisava ler, caí no sono. Parecia que alguém me desligou da tomada", disse ele ao Siberian Times.
O homem afirmou que acordou no hospital, com a esposa e sogra ao seu lado, e que os médicos não encontraram nada de errado com ele após uma bateria de exames. “Eu dormi por mais de 30 horas. Mas isso nunca aconteceu comigo antes, nunca na minha vida, nem com ninguém da minha família", disse Alexey.

Pessoas afetadas mais de uma vez

Com algumas pessoas dessas regiões, os episódios do sono prolongado não acontecem apenas uma vez. Além disso, o tempo em que elas dormem podem se estender até seis dias. Lyubov Belkova foi uma pessoa que teve a doença por muitas vezes. Ele, que é vendedor de roupas no mercado local de Kalachi, foi vítima por nada menos do que sete vezes.
Sua filha caiu no sono profundo por duas vezes e sua neta, uma vez. E todos os seus colegas de trabalho também foram afetados em épocas diferentes. O que intriga os especialistas, e os moradores desses locais, é que algumas famílias são afetadas várias vezes, enquanto outras parecem imunes à doença.
Entrada da cidade de Krasnogorsk
O único fator comum é que parece acontecer principalmente com descendentes diretos de russos e alemães. As ocorrências da síndrome do sono se tornaram tão constantes, que mudaram até o comportamento dos habitantes da cidade. Como a maioria das pessoas nem imagina quando a doença vai atacar, cada um sempre carrega uma bolsa com roupas e itens pessoais, em caso de necessidade de ser levado às pressas para o hospital.
Mas afinal, o que poderia estar causando esse fenômeno? Quando a primeira epidemia ocorreu em 2013, os médicos acharam que era um caso de consumo de vodca má qualidade. No entanto, descobriram que nenhuma das seis pessoas que caíram no sono naquela época havia consumido álcool.
Alguns moradores acreditam que o problema surge depois de um súbito aumento na temperatura atmosférica. Outra teoria sugere que a água de uma mina de urânio abandonada nas proximidades escoa para os rios locais e acaba sendo consumida por moradores. Mas nada ainda tem uma confirmação.

Investigações

A fim de descobrir o mistério, vários cientistas visitaram a remota região, buscando explicações para a epidemia do sono. Eles realizaram cerca de sete mil análises no solo e na água da área, em amostras de sangue das vítimas, cabelos e unhas.
Eles desconsideraram que tivesse algo a ver com o gás no subsolo e com sinais de telefone celular. Porém, eles testaram a presença de gás radônio nas casas, além de medirem níveis elevados de radiação, metais pesados, bactérias e vírus. Todos os testes não foram conclusivos.
Há algumas décadas, Krasnogorsk era uma cidade secreta liderada diretamente por Moscou, tendo cerca de 6,5 mil moradores que trabalhavam na mina de urânio. A vida por lá era muito próspera, mas as coisas mudaram drasticamente após a separação Soviética.
Apenas 130 pessoas permaneceram em Krasnogorsk, enquanto Kalachi tem uma população de 680 habitantes. Em ambas as regiões, as pessoas vivem humildemente com suprimentos e poucos recursos. Porém, esses fatos também não ajudaram nas investigações sobre a doença do sono.
"Infelizmente, a natureza da condição ainda não é conhecida. Excluímos infecções, verificamos sangue e o líquido da medula, mas nada está lá. Nós categorizamos como encefalopatia tóxica, mas 'tóxico' é apenas um palpite por aqui, pois a encefalopatia é apenas o título do conjunto de doenças do cérebro", disse o Dr. Kabdrashit Almagambetov, um médico pesquisador envolvido nas investigações.  

Mistério ainda não solucionado

Leonid Rikhvanov, um professor de geoquímica na Universidade Politécnica de Tomsk, tem algumas  notícias para oferecer. Junto com sua equipe, ele estudou as amostras de urânio que um residente de Kalachi lhe enviou.
"Testamos as amostras e chegamos à conclusão de que o gás radônio é a razão para o sono, mas não por seu efeito radioativo, e sim pelo efeito químico do gás. Em outras palavras, a doença é causada pela evaporação da mina", disse Leonid. No entanto, mais testes são necessários para confirmar esta teoria.
Mas será que o radônio é realmente a verdadeira causa? Dr. Kabdrashit, que também é um anestesista, disse que ele usa gases semelhantes nos seus procedimentos anestésicos e os pacientes acordam uma ou duas horas após a cirurgia.
"Essas pessoas daqui dormem por dois a seis dias. Qual é a concentração deste gás, então? E por que uma pessoa pode adormecer e alguém que vive com ela não?", questionou o médico. De fato, mesmo com a conclusão de Leonid, nada está realmente confirmado. Mas as pesquisas para descobrir a causa da doença do sono por lá continuam.

Via http://www.megacurioso.com.br/misterios/43348-vilarejos-da-russia-e-cazaquistao-sao-afetados-por-doenca-do-sono.htm

quarta-feira, 28 de maio de 2014

"Antes da bolha de ouro 2015 vai explodir, causando a morte de dinheiro"

O colapso do sistema monetário internacional chegará no 4 º trimestre de 2014, após o estouro da bolha no mercado de ouro, diz o especialista em finanças James Rickards, para quem não há escolha e você tem que se preparar para o desastre.
 
Previsões do colapso do sistema monetário mundial, Rickards previu em seu livro "The Death of Money" ("The Death of Money ') para 2015 ou 2016, pode ser realizado muito mais cedo do que o esperado. "A velocidade com que se desenrolam os acontecimentos, é muito maior do que o esperado, o que significa que as consequências catastróficas também virá mais cedo do que o esperado", disse o especialista em um evento organizado para promover seu trabalho, relata  Vestifinance . Como um evidência chave apoiar sua hipótese Rickards fornece a  declaração do presidente russo, Vladimir Putin, no âmbito do Fórum Econômico Internacional de São Petersburgo sobre a necessidade de criar uma zona económica única que incluiria os países da União Aduaneira e outras nações. ", disse Putin, ele quer criar uma zona económica na Eurásia com a participação da Europa Oriental, Ásia Central e Rússia . ", diz o autor. Além disso, o especialista apontou que seu livro não é um aviso ou uma receita para corrigir erros, uma vez que é certo que o estrago está feito e você só tem que estar preparado para tempos difíceis. Uma grande variedade de fatores pode catalisar o colapso do sistema monetário mundial: ambos rupturas de abastecimento ouro físico, como um desastre natural . 


Isto, Rickards acredita que a bolha vai estourar de ouro antes do final do ano, começando com a China ea Índia, onde os contratos não podem ser executados pela falta de metal. "Na Índia há um novo governo que irá cancelar imposto sobre as importações de ouro, e começar a temporada de casamento, por isso a procura de ouro no quarto trimestre vai aumentar fortemente. 's desenvolvimentos na China está à frente das datas no mercado de empréstimo. Na Escrevi o livro que tudo não acontecerá antes de 2015, mas já está acontecendo crescente número. de falências, as pessoas vão aos bancos que tentam retirar o seu dinheiro ", disse o escritor. "Um dia, o preço do ouro vai subir 100 dólares , no dia seguinte para 200, em seguida, toda a mídia começar a falar sobre a bolha, e num piscar de olhos o preço do ouro vai subir a US $ 1.000 ", disse Rickards. consequência desta subir, todo mundo vai querer trocar o seu dinheiro para o ouro , depois do que a demanda vai exceder a oferta por um valor crítico e explodiu o colapso de todo o sistema monetário. 



Texto completo en: http://actualidad.rt.com/economia/view/129388-explosion-burbuja-oro-muerte-dinero